Call Us Now: (240) 429 2177

Part Worn Africa solicita a regulamentação de pneus em segunda mão em toda a África

October 30, 2018

CIDADE DO CABO, África do Sul, 30 de outubro 2018 -/African Media Agency (AMA)/-organização de defesa recém criada Part Worn Africa solicita que os governos e as entidades reguladoras em todo o continente Africano desenvolvam e cumpram uma regulamentação mais forte relativamente às vendas de pneus usados e em segunda mão.

Part Worn Africa irá defender que os pneus usados e em segunda mão sejam universalmente e rigorosamente regulamentados em conformidade com normas e especificações rigorosas da mesma forma que os pneus recauchutados eram originalmente.

África está atolada em enquadramentos legislativos e regulatórios inadequados e na ausência de segurança de padrões de qualidade para o que pode constituir um uso seguro de pneus em segunda mão ou usados.

A incapacidade de conseguir impôr segurança mais rigorosa e padrões de qualidade como os aplicados aos pneus novos deixa os utilizadores das estradas em África, quer sejam condutores, passageiros, viajantes ou peões, vulneráveis e inseguros. Inadequados e ilícitos os pneus podem ser mais acessíveis, mas na realidade , custam vidas.

África tem das taxas mais altas do mundo em número de mortos na estrada, com 26,6 mortos por 100,000 habitantes. Estudos revelam que pneus com defeito são umas das principais causas de colisões fatais. A Década de Acção para a Segurança no Trânsito (2011-2020) solicita aos países Africanos que implementem acções concretas para melhorar a segurança rodoviária e reduzir para metade as mortes na estrada até 2020.

Abdul Waheed Patel, Director da Part Worn Africa

Abdul Waheed Patel, Director da Part Worn Africa

 
” Operadores sem escrúpulos aproveitam-se do processo de eliminação de resíduos porosos de pneus para reunir ‘stock’ para revender, enquanto outros revendem pneus rejeitados noutros países fora de África porque já não estão aptos para serem usados. Isto torna-os perigosos, uma realidade mais composta por estes pneus muitas vezes são inadequados ao clima em África e às condições das estradas,” explica Abdul Waheed Patel, Director da Part Worn Africa.

“Existe uma necessidade de proteger os utilizadores das estradas desenvolvendo, executando e monitorizando o cumprimento com enquadramento legislativo e regulatório apropriados e especificações para pneus em segunda mão e usados, uniformemente em toda a África. Condutores que possam ter alguma pressão financeira muitas vezes optam por pneus mais baratos não verificados sem terem noção dos riscos de segurança associados,” acrescenta.

Certificação de segurança para pneus usados ou em segunda mão é urgente. Existem limitações inerentes e limites para além dos quais um pneu usado pode ser reconstituído e reaproveitado de forma segura para além do seu tempo de vida original. Uma vez alcançados estes limites, os pneus devem ser eliminados em segurança de acordo com as práticas de gestão regulamentadas dos resíduos de pneumáticos. No entanto, muitos destes pneus inseguros retornam ao mercado Africano, com condutores inocentes e com falta de dinheiro a transformarem-se nas vitimas.

Part Worn Africa irá trabalhar com governos, entidades reguladoras e grupos de interesse multi-sectorial por toda a África para direccionar as regras, défices legislativos e regulamentares que expõem consumidores desinformados a este grande risco nas estradas de África.

Tratar destes assuntos também confrontará uma economia ilícita descontrolada no comércio e na venda de pneus não regulamentados, que também é tipicamente caracterizada por concorrência desleal, práticas comerciais irresponsáveis e dumping destes pneus em estradas Africanas de jurisdições onde já não são adequados para serem usados noutro local.

Sumitomo Rubber South Africa (Pty) Ltd (SRSA) fez parceria com Part Worn Africa como parte do seu compromisso permanente de produção de pneus com segurança. SRSA produz veículos de passageiros, veículos utilitários desportivos,pneus radiais de camião e autocarro das suas instalações Ladysmith em KwaZulu- Natal, África do Sul, para venda e exportação para o estrangeiro. SRSA distribuí Dunlop, Falken e Sumitomo marcas de pneus em 48 países Africanos.

” O uso de pneus em segunda mão, onde o comprador não tem conhecimento da idade do pneu ou do histórico de reparações- juntamente com a prática ilegal e extremamente perigosa de ‘reabertura de piso’ em pneus para criar maior profundidade do piso – é uma causa significativa e motivo de preocupação dentro do sector informal de pneus Africano,” disse Riaz Haffejee, CEO da SRSA.

“A nossa custódia e parceria com Part Worn Africa tenta apresentar a nossa produção já bem estabelecida, produto e segurança do consumidor, iniciativas como a nossa campanha ‘SaferThanSafe‘ e o Dunlop Container Programme, que oficializa o comércio informal de pneus de uma forma segura em contentores convertidos em lojas,” acrescenta.

Part Worn Africa partilhará o seu Know-how com campeões nacionais e actores regionais para sensibilização das causas, desafios e consequências e soluções necessárias para tratar o problema de entidades não regulamentadas de pneus de carros de passageiros usados e em segunda mão em África.

As campanhas de apoio e os programas da Part Worn Africa são geridos por uma empresa de assuntos governamentais Pan-Africana, ETHICORE Political Lobbying.

Distribuído pela African Media Agency (AMA) em nome da Part Worn Africa.
 
Sobre a Part Worn Africa
Part Worn Africa, uma nova organização de defesa, solicita que os governos e as entidades reguladoras em todo o continente Africano desenvolvam e cumpram uma regulamentação mais forte relativamente às vendas de pneus usados e em segunda mão. Está a fazê-lo porque existe enquadramento legislativo e regulamentar inadequado e sem um mínimo de segurança e padrões de qualidade em África em torno de pneus em segunda mão ou usados.

Part Worn Africa lutará para aumentar a sensibilização sobre as causas, desafios e consequências de pneus ilegais e perigosos no continente Africano, e partilhará soluções que podem salvar a vida dos utilizadores das estradas.

Perguntas de Jornalistas:

Syreeta van Rooyen Relações Públicas na Tribeca 
+27 (0)10 005 1024
0

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *